segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Gilmar Mendes quer controle rígido sobre as leis

O presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça, ministro Gilmar Mendes pede mais rigor na aprovação de nova legislação, para que estas não tenham a inconstitucionalidade arguida

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Gilmar Mendes, pediu mais controle na elaboração das leis brasileiras. Durante encontro com presidentes de tribunais e representantes de assembleias legislativas, ele afirmou que muitas vezes se surpreende com um número elevado de inconstitucionalidades, ao se referir à legislação. Entre as unidades da Federação que mais possuem leis declaradas inconstitucionais, o ministro citou o Distrito Federal.

As declarações foram feitas durante a abertura do encontro com representantes do Judiciário e Legislativo estaduais, que ocorreu na sede do Supremo, na última sexta-feira, em Brasília. Na ocasião, o ministro apresentou o painel Controle de Constitucionalidade de Leis Federais, no qual fez um relato sobre os diversos tipos de competência legislativa que envolvem o tema. Mendes lembrou ainda que a atual Constituição brasileira foi a mais exitosa em termos de normalidade. Foi o mais longo período de normalidade constitucional da nossa história, disse.

Segundo o ministro, das 116 leis editadas pela Câmara Legislativa do Distrito Federal, 59 delas eram inconstitucionais, o que representa mais da metade (50,9%) do total. É um número preocupante e que mostra que esse índice é extremamente elevado, afirmou. O presidente do CNJ disse que o excesso de inconstitucionalidade das leis poderia ser evitado com o mero exame jurídico da questão.

Municípios

Gilmar Mendes defendeu uma maior reflexão acerca da criação de novos municípios. Ele disse que as diferentes realidades entre unidades federativas sem dúvida alguma, leva a uma reflexão sobre esta questão que concerne à criação de municípios e também um desafio no que diz respeito à organização judiciária.

O comentário ocorreu após a crítica feita presidente eleito do Colégio de Presidentes das Assembleias Legislativas, deputado Domingos Filho. O deputado, que também preside a Assembleia Legislativa do Ceará, defendeu a autonomia dos estados, inclusive para a criação de municípios, e o respeito ao pacto federativo. Nesse ponto, particularmente, ele reclamou que, na prática, o que existe hoje no Brasil é um engessamento da competência estadual.

Segundo afirmou, o Congresso Nacional até hoje não concluiu a votação do Projeto de Lei Complementar (PLP 416/2008) que dispõe sobre a criação, fusão, incorporação ou desmembramento de municípios. A proposta, que regulamenta o parágrafo 4º do artigo 18, da Constituição Federal, é de autoria do Senado e busca também validar a criação de 57 municípios emancipados ou desmembrados entre 13 de setembro de 1996 e 31 de dezembro de 2007.

O parlamentar destacou as diferentes realidades encontradas no Brasil, onde há municípios extremamente distantes da capital, como Altamira, no Pará, e outros que de tão pequenos, um vereador pode ser eleito com pouco mais de 60 votos, como Borá, São Paulo. Essas diferenças, segundo o deputado Domingos Filho, demonstram a necessidade de maior autonomia para os estados tratarem de seus municípios.

Reflexão

Para Gilmar Mendes, a reflexão sobre esta questão (criação de municípios) é necessária. Ele citou como exemplo disso a realidade da Região Norte do País, onde os meios de transporte mais comuns são o barco e o avião quando possível. De Manaus, capital amazonense, para Tabatinga, na fronteira com a Colômbia, são mais de duas horas de jato, observou o presidente do STF.

Não há como se ignorar que estamos de alguma forma aplicando a Constituição de 88 com os parâmetros da Constituição anterior. Embora o texto constitucional diga que na competência concorrente a União deve se limitar a legislar sobre normas gerais, continuamos a entender que a União pode exaurir e que o estado só pode legislar supletivamente, disse o ministro.

Estamos a ler o texto constitucional com os olhos no retrovisor, ressaltou. Segundo Gilmar Mendes, a resolução desse problema depende do Supremo, do Congresso Nacional e dos governos estaduais e assembleias legislativas, que precisam mostrar sua irresignação com esta invasão de competência.

Ao final do primeiro painel, foi sugerida a criação de uma agenda permanente de debates entre o Judiciário e os legislativos estaduais, inclusive com a participação dos presidentes das comissões de constituição e justiça das assembleias legislativas.

A importância do diálogo entre os poderes também foi abordada no encontro. Domingos Filho, elogiou a postura pró-ativa do Poder Judiciário em chamar para a discussão os representantes do Legislativo. Segundo ele, é incomum que parta do Judiciário a iniciativa para esse tipo de discussão e qualificou a atitude como uma quebra de paradigma, uma vez que tal iniciativa deveria partir do Legislativo.

Fonte: Jornal do Commercio

Tentativa de acordo para distribuir royalties


Líderes de partidos governistas e da oposição buscam um acordo para superar o impasse surgido na votação dos projetos relativos à distribuição de royalties depois que Estados não produtores, os chamados não confrontantes, passaram a reivindicar participação, também, nos recursos relativos a exploração em áreas já licitadas. Foi isso que levou o governador do Rio, Sérgio Cabral, reagir e afirmar que assim “o Rio seria roubado”.

A proposta em discussão prevê que recursos destinados à União ( ao menos a metade dos 50% destinados aos Ministérios de Minas e Energia e Meio Ambiente, que frequentemente são contingenciados no Orçamento) seriam respassados a Estados e municípios não confrontantes, seguindo as regras do Fundo de Participação dos Estados e Fundo de Participação dos Municípios. Assim, os Estados, inclusive os do Norte onde iniciou rebelião para obter parcela dos recursos hoje destinados aos Estados confrontantes, seriam também atendidos com recursos.

No ano passado, a União teve direito a R$ 5,7 bilhões referentes à participação especial que é repassada por conta da exploração de petróleo. A expectativa é a de que a metade de valor equivalente a este seja, então, distribuída entre Estados e municípios não confrontantes.

A oposição aceitaria suspender a obstrução na Câmara se a Mesa colocar em votação projeto já aprovado pelo Senado que garante reajuste à aposentadoria do INSS correspondente ao reajuste dado ao salário mínimo. o objetivo da oposição é constranger os governistas e levar o presidente Lula a adotar a antipática decisão de vetar o aumento, uma vez que os cofres da União não permitiriam tal reajuste.

Fonte: Blog da Cristiana Lôbo

O que lhe prende ?

Já observou o elefante no circo? No espetáculo ele demonstra sua força. Mas, antes da cena, permanece preso, contido somente por uma corrente em uma de suas patas a uma pequena estaca cravada no solo. Sem dúvida a estaca é só um pedaço de madeira. E, ainda que a corrente fosse grossa, esse animal, capaz de arrancar uma árvore com sua própria força, poderia com facilidade, arrancar a estaca e fugir. Que mistério!... Por que não foge?... Perguntei a um professor. Ele explicou que o elefante não escapava porque estava amestrado. Fiz então a pergunta óbvia: - E por que o prendem? Não houve resposta!... Há alguns anos descobri que, alguém havia sido bastante sábio para encontrar a resposta: - O elefante do circo não escapa porque foi preso à estaca muito pequeno. Fechei os olhos e imaginei o pequeno recém-nascido logo preso. Naquele momento, o elefantezinho puxou, forçou, tentando se soltar. E, apesar de todo o esforço, não o pôde sair. A estaca era certamente muito pesada para ele. O elefantinho tentava e nada. Até que um dia, cansado, aceitou o seu destino. Então, aquele elefante enorme não escapa porque acredita que não pode. Jamais voltou a colocar à prova sua força. E isso acontece com a gente!... Vivemos crendo que um montão de coisas "não podemos". Simplesmente porque, quando éramos crianças, algo não deu certo ou ouvimos tantos "nãos", que isso ficou gravado na memória. Vez em quando sentimos as correntes: "Não posso e nunca poderei!". A única maneira de tentar de novo é colocando muita coragem e fé em nosso coração! Tente e veja o que você poderá conseguir!


sábado, 28 de novembro de 2009

Como você se vê ?


Certa vez uma indústria de calçados Brasileira, desenvolveu um projeto de exportação de sapatos para a Índia. Em seguida, mandou dois consultores a pontos distintos do País para fazer observações do potencial daquele mercado. Após dias de pesquisa, um dos consultores enviou o seguinte fax à direção da indústria: "Senhores, cancelem o projeto de exportação para a Índia. Aqui ninguém usa sapatos.”. Sem saber desse fax, dias depois o segundo consultor mandou o seu: "Senhores, tripliquem o projeto da exportação para a Índia. Aqui ninguém usa sapatos ainda". A mesma situação era um grande obstáculo para um e uma imensa oportunidade para outro. Assim, tudo na vida pode ser visto com enfoques e maneiras diferentes. A sabedoria popular traduz essa situação com a seguinte frase: "Os tristes acham que o vento geme; os alegres e cheios de espírito afirmam que ele canta”. O mundo é como um espelho que devolve a cada um o reflexo de seus próprios pensamentos. “Assim como o homem se vê, assim o é”.


sexta-feira, 27 de novembro de 2009

"Homem é acusado de exercício ilegal da medicina no Agreste de Pernambuco"

Um homem está sendo ouvido na sede da Polícia Federal em Caruaru na tarde desta quarta-feira (25). Aleandro Ricardo de Freitas atendia na Unidade Mista de Saúde Ana Agemira Corrêa, no muncípio de Jataúba, Agreste de Pernambuco, utilizando o número de registro de um médico verdadeiro.

Ele foi descoberto durante fiscalização do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). Aleandro e a administradora do hospital foram levados para a unidade policial. Carimbos, prontuários médicos e fichas de atendimento foram apreendidos.

Segundo o presidente do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), André Longo, o acusado não tem registro no Conselho Federal de Medicina nem no Regional. Aleandro atuava como plantonista.

O homem teria alegado que se formou em medicina na Bolívia e apresentado um diploma. O documento ainda será verificado. Ainda de acordo com André, há suspeitas de que mais quatro pessoas estejam agindo da mesma forma na Unidade Mista de Saúde Ana Agemira Corrêa. Para não comprometer o atendimento no hospital, a 4ª Gerência Regional de Saúde enviou uma equipe ao local.

Fonte: JC Online


Agora eu: Talvez por ser um “Ser Politizado” a cada dia que se passa fico mais enojado com essa política medíocre e corporativista que vivemos. Este é mais um daqueles casos em que a noticia é publicada pela metade. Aleandro Ricardo, um correntino, como muitos pernambucanos que um dia saíram de suas casas na ilusão de cursar medicina na Bolívia, Cuba, etc... e ao retornarem ao findar seus cursos se depararam com a vergonhosa posição dos Conselhos Regionais de Medicina de não os aceitarem como profissionais, sem ao menos lhes darem a oportunidade de realizarem “uma suposta prova” que nunca acontece.

Politicamente fico imaginando até onde existe boa vontade do Governo para solucionar os problemas com a saúde. Será que a legalização destes profissionais não seria um passo para a falta de médicos? – Afinal só em Pernambuco existem centenas. Não quero justificar os meios que muitos encontram para exercitar a profissão, mas tambem fico pensando na frustração de cada um que tem seu diploma na mão, anos de dedicação aos estudos, e em seu proprio País não tem o direito de praticar o que aprendeu.
Assim registro aqui meu protesto!

"Por tras da tela"


Durante o período em que eu estava aprendendo a usar o computador comecei a ficar preocupado com o barulho que vinha dele. Parecia que ele estava trabalhando embora nada estivesse mudando na tela. Liguei imediatamente para o representante, preocupado e ele me respondeu:

Não se preocupe, provavelmente o computador está trabalhando em uma das funções por trás da tela e você não pode ver.

Comecei então a pensar na frase "por trás da tela" e comecei a perceber como eu era orientado visualmente. Preocupado por não ver o que estava acontecendo. Aí então lembrei-me do meu relacionamento com Deus e quão dependente eu sou de ver os resultados da sua atuação. Quando não vejo os resultados esperados, quando "nada" acontece eu assumo que Deus não está fazendo nada. Mas ele muitas vezes trabalha por trás da "tela da vida". Se eu em determinados momentos não vejo a mão de Deus atuando me protegendo, guiando, eu posso estar seguro de que Ele está trabalhando a meu favor por trás da cena do cotidiano.

Existe uma situação na sua vida hoje que você não está vendo a ação de Deus? Talvez as circunstâncias da sua vida estejam resistindo qualquer tentativa de mudança que você já fez. Apesar de você ter a impressão de que nada está acontecendo, não desanime e busque a Deus pois Ele não está parado mas está "trabalhando por trás da tela da vida a seu favor".

"Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele e ele tudo fará."
Salmos 37:4

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Jornais: arquivo sigiloso da Câmara revela notas de "fantasmas"


(Obs: dois deputados pernambucanos na lista)

Documentos mantidos até agora sob sigilo pela Câmara mostram que empresas de fachada ou com endereços fantasmas são beneficiárias do dinheiro que a Casa destina para a atividade parlamentar.

A Folha obteve por via judicial as informações de cerca de 70 mil notas fiscais que foram objeto de reembolso aos deputados federais nos últimos quatro meses de 2008. É uma pequena amostra da caixa-preta que o Congresso mantém desde 2001, quando foi criada a verba indenizatória, adicional mensal de R$ 15 mil para despesas de trabalho (o salário de um deputado é R$ 16,5 mil).

Nas duas últimas semanas, a Folha analisou cerca de 2.000 páginas entregues pela Câmara ao Supremo Tribunal Federal a partir de mandado de segurança e percorreu endereços em cinco Estados e no Distrito Federal para checar os dados.

Deparou-se com uma série de endereços fictícios e com empresas que são totalmente desconhecidas do mercado. Os deputados que usaram notas dessas empresas alegam que os serviços foram prestados e dizem que não podem responder por eventuais problemas delas.

Um deles, Marcio Junqueira (DEM-RR), recebeu pelo aluguel de carros reembolsos mensais de cerca de R$ 15 mil da PVC Multimarcas. A empresa é do advogado do parlamentar, Victor Korst, e tem como endereço o escritório deste.

Criada há pouco mais de um ano, a PVC emitiu ao deputado notas fiscais de numerações inferiores a dez, o que indica que Junqueira é possivelmente seu único cliente. "Se você for dar nota de tudo o que faz e pagar todos os impostos, você morre de fome", justificou-se Korst.

Após abril deste ano, quando a Câmara passou a divulgar na internet os dados da verba, Junqueira deixou de pedir reembolso pelo serviço: "Acho que ele não teve ainda a felicidade de fazer com outros os contratos que fez comigo".

Endereços falsos

São muitos os casos de empresas que não existem nos endereços informados à Receita, situação que pode configurar crimes como falsidade ideológica e contra a ordem tributária (dois a cinco anos de prisão).

Os deputados baianos Severiano Alves (PMDB) e Uldurico Pinto (PHS) entregaram uma série de notas da Valente & Bueno Assessoria Empresarial, que informou à Receita funcionar num apartamento na Asa Sul de Brasília. O dono do imóvel nunca ouviu falar da firma.

No período analisado, a Valente & Bueno teria recebido R$ 56 mil dos dois deputados, mas, segundo eles, os pagamentos remontam a 2006, o que elevaria o valor a pelo menos R$ 350 mil se o padrão de pagamentos for constante. Severiano e Uldurico disseram que os serviços foram prestados, mas não souberam detalhá-los.

Severiano falou que a assessoria era "consultoria de mídia, principalmente" e que interrompeu os trabalhos em abril porque a Câmara teria proibido a contratação de consultorias, o que não é verdade. Uldurico disse não se lembrar exatamente o que solicitou -foram "trabalhos jurídicos, específicos".

Empresas "funcionam" em endereços fictícios

Rio Acima (MG), cidade com pouco mais de 8.000 habitantes a 41 km de Belo Horizonte, não tem aeroporto nem pista de pouso. Mas é lá que, no papel, fica a Global Express Serviços em Aviação Ltda, empresa de taxi aéreo que mais recebeu pagamentos da Câmara dos Deputados nos quatro últimos meses de 2008: R$ 96,2 mil.

No endereço registrado na Receita e na Junta Comercial moram o metalúrgico aposentado João Bosco das Neves, 54, sua mulher, filha e um cachorro que não para de latir ao menor sinal de estranhos. A casa é a mais mal conservada da vizinhança, com rebocos se descolando e tijolos à mostra.

Na nota que os deputados deram à Câmara, o endereço é descrito como Rua do Rosário, 131, "sala 02", sugerindo um imóvel comercial. O telefone é de uma empresa homônima, que faz manutenção de aparelhos eletrônicos em Belo Horizonte. Lá, um funcionário disse que a "Global Aviação fica em outro lugar, em Rio Acima".

Na cidade do interior mineiro, João Bosco afirma que a empresa nunca funcionou ali. Sua mulher afirma que "presta serviços" para a Global. Diz ganhar R$ 20 por mês para receber as correspondências e "mandar e-mails": "O que eu sei é que eles fazem palestras para o pessoal da aviação. Não sabia que tinha negócio de deputado no meio".

A empresa não tem autorização da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para explorar o transporte de passageiros. O dono da Global, Leonardo de Vasconcelos Vieira, 34, nega que a empresa seja fantasma.

Segundo ele, o endereço em Rio Acima foi indicado pela prefeitura local para fugir dos valores de ISS cobrados em Belo Horizonte, onde, segundo ele, a empresa efetivamente funciona.

Segundo Leonardo, a Global não tem aviões e não faz táxi aéreo: "Nós fazemos subfrete, é como um mercado paralelo para fugir de custos mais altos". Na prática, diz ele, a empresa é uma intermediária entre eventuais clientes, como deputados, e empresários que possuem aviões disponíveis. Sem site ou qualquer outro tipo de divulgação, diz funcionar na base da "indicação" e da "confiança".

Firmas que emitiram notas fiscais para os deputados cearenses José Airton Cirilo (PT) e Eugênio Rabelo (PP) também informaram em seus cadastros fiscais endereços inexistentes.

A Locautos Campo Verde, que emitiu notas para Rabelo, deveria estar localizada na Estrada do Largão, s/n, em Eusébio (a 27 km de Fortaleza). No local, rebatizado de rua Benedito Ferreira, os moradores nunca ouviram falar dela: "Locadora de carros nunca teve aqui", disse o comerciante João Ribeiro, 54, que mora ali há 17 anos. Na rua, sem asfalto, só há casas e terrenos baldios.

Serviços foram prestados, dizem deputados

Os deputados federais afirmaram que os serviços de que pediram reembolso foram prestados e que eventuais problemas são de responsabilidade das empresas. Os responsáveis pelas notas fiscais encontrados pela Folha também negaram irregularidades.

O deputado Marcio Junqueira (DEM-RR) reconheceu que aluga carros da empresa de seu advogado, Victor Korst. "As vezes vem gente de Roraima, aí mando deixar um carro à disposição. Os prefeitos vêm, às vezes gente doente que precisa se locomover." Korst diz que alugou dois Honda Civic, um Toyota Corolla e uma picape S10. "A empresa existe direitinho, tem contrato, está tudo na Câmara, que é rigorosa."

Severiano Alves (PMDB-BA) e Uldurico Pinto (PHS-BA) afirmaram que todo o serviço solicitado à Valente & Bueno Assessoria, que não funciona no endereço declarado, foi entregue. "Ela [a dona da Valente] é uma pessoa séria, com endereço conhecido. O serviço era de consultoria, informação, pesquisa, pareceres", disse.

A proprietária, Célia Valente, afirmou que o atual endereço da empresa é o seu escritório, em Brasília. Ela disse não reconhecer o endereço listado na Receita Federal. Afirmou que prestava principalmente consultoria jurídica aos deputados e que o serviço foi interrompido em abril (quando a Câmara passou a divulgar os gastos), por opção dos deputados.

Deputados que apresentaram notas da SC Comunicações, cuja "sede" é uma casa onde a empresa é desconhecida, afirmaram, em sua maioria, que a firma prestou serviços de assessoria de imprensa.

Segundo alguns deles, o serviço foi prestado por meio de pessoas subcontratadas. São eles: Uldurico, Jorge Khoury (DEM-BA), Edigar Mão Branca (PV-BA), José Rocha (PR-BA), Valdir Colatto (PMDB-SC), Arnaldo Vianna (PDT-RJ), Luiz Carreira (DEM-BA), Márcio Marinho (PRB-BA).

Uldurico disse que a assessoria foi jurídica. Khoury afirmou que deveria ter buscado mais informações. "Não sabia desses detalhes [o endereço fictício da empresa]." "É um profissional qualificado que prestou os serviços. Ele acompanhava as reuniões, participava, fazia informes", disse Carreira.

Os deputados que apresentaram notas da Global Express, que também não funciona no endereço informado, disseram terem feito os voos. "Se eu contrato um cara e ele te dá uma nota falsa, aí você fala assim: "O deputado arrumou uma nota fria". Peraí, o serviço que eu contratei foi entregue", disse Narcio Rodrigues (PSDB-MG).

Fábio Ramalho (PV-MG) informou o nome do piloto e a rota. Saraiva Felipe (PMDB-MG) fez o mesmo, e disse que pediu à Câmara a nota original para checar a situação da empresa.

Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) disse que irá apurar o caso. "O que eu posso garantir é que eu sou um sujeito extremamente rigoroso", afirmou.

Os outros deputados que apresentaram notas são Leonardo Quintão (PMDB-MG) e Mário de Oliveira (PSC-MG), que não se pronunciaram.

O gabinete de Zezéu Ribeiro (PT-BA) disse que o serviço prestado pela Seven Promoções, que tem endereço fictício, foi na área de informática. A empresa diz que já funcionou no endereço informado. O proprietário do imóvel nega.

A assessoria do deputado Ademir Camilo (PDT-MG) disse que ele aluga um Siena e um Doblò na Meridiano Locação de Equipamentos, especializada em aluguel de andaimes. "Os carros existem, os contratos existem, está tudo regular."

Os três deputados que apresentaram notas da Information Systems -Carlos Eduardo Cadoca (PSC-PE), Cezar Silvestri (PPS-PR) e Edgar Moury (PMDB-PE) - também disseram ter alugado os carros.

A assessoria de Tonha Magalhães (PR-BA), que contratou empresa de vigilância não autorizada a funcionar pela Polícia Federal, argumentou que a segurança prestada a ela é desarmada, o que dispensaria o aval da polícia. A PF diz que o aval é necessário.

Professor Sétimo (PMDB-MA) disse que o contrato com a Pull Comercial, cujo endereço é o de um sindicato, foi regular.

Fonte: Folha de S. Paulo

Deus sabe o que Faz !!!


"Preciso de óleo", disse um monge;

Então plantou uma mudazinha de oliveira.

Senhor, orou ele, "ela precisa de chuva, para que suas raízes tenras possam beber e crescer. Manda chuvas brandas".

E o Senhor mandou-lhe chuvas brandas.

"Senhor", orou o monge, "minha planta precisa de sol. Peço-Te, manda sol". E o sol brilhou, dourando as nuvenzinhas chuvosas. "Agora neve, meu Senhor, para robustecer seus tecidos", pediu o monge.

E lá ficou a plantinha coberta de neve brilhante.

Mas à noite morreu.

Então o monge foi ao quarto de outro irmão e contou-lhe a estranha experiência. "Eu também plantei uma arvorezinha", disse o outro, "e veja como está viçosa! Mas eu confio a minha planta ao Deus que a criou. Ele que a fez sabe do que ela precisa, melhor do que um homem como eu. Não impus condições. Não estabeleci meios ou maneiras. Orei: Senhor, manda-lhe o que ela necessita. Sol ou chuva, vento ou neve”.

Tu a fizeste, e Tu sabes!

Assim também devemos fazer em nossas vidas, entregar tudo nas mãos do Senhor, pois Ele sabe todas as coisas.

"Considerai como crescem os lírios do campo”.(Mt 6:28)

 

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Quem sabe como funciona ?

Certo homem, muito tempo atrás, possuía um automóvel modelo Ford, passeava pelas ruas da cidade. Contentíssimo, admirava os muitos recursos, da velocidade e maciez que seu veículo proporcionava. Ia assim um dia, quando, subitamente, o carro parou o motor e nada o fazia pegar. Tudo tentou o proprietário: deu partida várias vezes, empurrou, abriu o capô, mexeu, pediu ajuda, mas nada. Nem sinal de funcionar. Como podia! Um carro tão bom, parar desse jeito! Já sem paciência, vem um desconhecido pede licença para ajudar. Desconsolado, o proprietário consentiu, sem confiar que qualquer coisa pudesse ser feita. O estranho abriu o capô, conectou um fiozinho a uma pequena peça do motor e, com um delicado toque, completou o reparo. Suas mãos nem receberam mancha de graxa, e, dada à partida, estava perfeito o automóvel. Parece ironia... O desconhecido aproximou-se do proprietário e mostrando-lhe sua carteira de identidade, diante dos olhos curioso de uma pequena multidão, disse:

• Meu nome é Henry Ford. Eu que fiz estes veículos, sei muito bem como funciona! Ninguém conhece melhor uma obra do que seu fabricante. Deus sabe tudo o que há no homem. Ele sabe como cada parte funciona em nós. Por que não irmos, então, à Sua Palavra, para receber o toque que este "veículo" necessita? Por séculos, os filósofos e sábios têm tentado melhorar o homem, sem resultados, enquanto a Palavra de Deus diz que o Criador, com um único toque, regenera o coração humano, "faz andar o engenho". Convertamos-nos, portanto a Ele, de todo nosso coração!

Deputado Roberto Magalhães: “Brasil interferiu em assuntos internos de Honduras”

O Deputado Roberto Magalhães participou nesta segunda-feira (9/10) do debate “Limites da Diplomacia: Brasil e a Crise de Honduras”, promovido pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pernambuco.

Roberto Magalhães frisou, em sua apresentação, que, ao violar as normas vigentes na Constituição Hondurenha, Manuel Zelaya desencadeou as ações que culminaram no seu afastamento por decisão da Corte Suprema, em resposta à representação do Ministério Público e com apoio do Congresso.

Magalhães recordou que foi aplicada a sanção prevista na Constituição daquele país para a tentativa de Zelaya promover sua reeleição: perda do cargo presidencial e a suspensão dos direitos políticos por 10 anos.

Sobre a acolhida do presidente deposto pela Embaixada Brasileira, o parlamentar foi enfático:

- Ao permitir que Zelaya permanecesse na embaixada brasileira em Tegucigalpa, sem a formalização de asilo, o Governo brasileiro, no meu entendimento, deixou de atender ao princípio da não intervenção, sendo responsável por ingerência em assuntos internos de Honduras - avaliou Magalhães durante sua apresentação.

sábado, 14 de novembro de 2009

Heloisa Helena abre mão de candidatura e apoiará Marina


Nem a gripe que acometeu há poucos dias a presidente nacional do Psol, Heloisa Helena, impediu a ex-senadora de vencer sua primeira batalha em direção ao apoio da candidatura de Marina Silva (PV) ao Palácio do Planalto. Por 13 votos a 3, a executiva nacional do partido deu cartão verde na tarde de quinta-feira para o início das negociações formais entre a legenda e o PV com vistas para 2010.

A proposta de criação de um canal de diálogo com os verdes nasceu do empenho pessoal de Heloisa que, amiga de longa data de Marina, considera a ex-ministra do Meio Ambiente a melhor opção para a sucessão do presidente Lula. "Não tenho dúvida", certificou a ex-senadora. "Não há dúvida de que Marina é a melhor (candidata) para o Brasil", assegurou.

Porta-voz do grupo que defende dentro do Psol a costura de acordo entre as duas siglas, Heloisa amarra desde outubro o apoio da legenda àquela que é sua candidata favorita para 2010. Os esforços da ex-senadora tiveram início após a sinalização do ex-governador de Alagoas Ronaldo Lessa (PDT) de que sairia candidato ao governo estadual no próximo ano.

A movimentação facilitaria a eleição da presidente do Psol a uma das duas vagas de Alagoas ao Senado no pleito de 2010. Para tanto, Heloisa aguarda apenas a chancela de seu partido, que deve ser dada em convenção no mês de maio. "Quem vai decidir o meu destino em Alagoas não sou eu, mas o povo do meu Estado", afirmou Heloisa. "E, em todos os lugares que vou, o povo quer que eu dispute em Alagoas", reafirmou a presidente da legenda, revelando o desinteresse em entrar na corrida ao Palácio do Planalto pela segunda vez consecutiva.

Entre os motivos para não tentar a Presidência da República em 2010, a ex-senadora explica que sua eventual candidatura prejudicaria o desempenho de Marina Silva nas urnas. "O que decido ou não é irrelevante. O importante é que não saiam duas candidaturas parecidas, que interajam ao mesmo tempo com o coração e a mente do povo", avaliou.

Heloisa reconhece que o lançamento de seu nome à sucessão de Lula solaparia a performance da ex-ministra do Meio Ambiente no processo eleitoral. "Ajudamos a candidatura dela ao não apresentar a nossa."

Extraído de: Diario do Grande ABC

TSE vai recadastrar 1 milhão de eleitores


Recadastramento será obrigatório; eleitor será identificado pela digital.Tribunal estima que até 2016 todo o país usará novo sistema biométrico. Reprodução/TSE Logo da campanha de recadastramento biométrico de eleitores (Foto: Reprodução/TSE)

Mais de 1 milhão de eleitores de 51 municípios brasileiros passarão por um processo obrigatório de recadastramento biométrico nos próximos meses. Com o novo sistema de identificação, feito por meio das digitais e da foto do eleitor, a Justiça Eleitoral pretende acabar com as possibilidades de uma pessoa votar no lugar da outra.

A previsão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é que o voto biométrico seja estendido para todo o eleitorado do país até 2016.

O sistema de identificação pelas digitais do eleitor na hora do voto foi testado na eleição municipal do ano passado. De acordo com juízes eleitorais de São João Batista (SC), Colorado do Oeste (RO) e Fátima do Sul (MS), a experiência foi um sucesso e atingiu seu objetivo principal, que é impedir a fraude na hora do voto. Além das três cidades, Búzios também já passou pelo processo neste ano.

Os eleitores dos 51 municípios selecionados deverão procurar a Justiça Eleitoral para fazer o recadastramento biométrico. A lista das cidades selecionadas - todas de pequeno porte - está no site do tribunal. Pelos cálculos do TSE, serão recadastrados 1.132.667 eleitores.

Extraído de: G1

O que é mais importante, Riqueza, Sucesso ou Amor ?



Uma mulher saiu de sua casa e viu três velhos homens de longas barbas brancas, que estavam sentados no jardim.

Ela foi até eles e disse:

- Penso que não os conheço, mas vocês devem estar famintos...Por favor entrem. Tenho algo que vocês podem comer.

- O homem da casa está?, eles perguntaram.

- Não, ela disse. Ele está fora.

- Então nós não podemos entrar, eles responderam...

Pela noite quando o marido voltou, ela lhe contou o que tinha acontecido.

- Diga-lhes que estou aqui e convide-os a entrar.

A mulher saiu e convidou-os... E eles responderam:

- Nós não entraremos juntos em sua casa. - Mas por que não? Ela quis saber.

Um dos homens explicou:

- O nome dele é Riqueza, disse apontando a um dos amigos... e disse apontando ao outro:

- Ele é Sucesso e eu sou Amor... Então ele acrescentou:

- Agora entre e veja com o seu marido qual de nós você quer que entre em sua casa.

A mulher entrou e contou para o marido o acontecido...

- Que legal, ele disse! Já que esse é o casso, vamos convidar a Riqueza... Deixe-o entrar e encher nossa casa de riqueza...

Mas a esposa discordou:

- Meu querido, por que nós não convidamos o Sucesso? A prima dele estava escutando do outro canto da casa.

Ela deu um salto com a seguinte sugestão:

- Não seria melhor convidar o Amor? Nossa casa será cheia de carinho...

- Vamos atender ao conselho de minha prima, disse o marido à esposa

- Vá lá fora e convide o Amor para entrar.

A mulher saiu e perguntou para os três velhos homens:

- Qual de vocês é o Amor? Por favor entre e seja nosso convidado.

Amor se levantou e seguiu-a até a casa. Os outros dois se levantaram e o seguiram. Surpresa, a senhora perguntou:

- Riqueza e Sucesso, eu só convidei Amor, por que vocês estão entrando?

Os velhos homens responderam juntos:

- Se você tivesse convidado Riqueza ou Sucesso os outros dois teriam ficado lá fora, mas desde que você convidou Amor, onde quer que ele vá nós vamos com ele...Pois, onde há Amor também há Riqueza e Sucesso!!!

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

STF confirma liminar de Cármen Lúcia e suspende posse de vereadores

Com exceção do ministro Eros Grau, o Plenário do Supremo Tribunal Federal referendou a decisão da ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha nas Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADI 4307 e ADI 4310) contra a "PEC dos Vereadores". Na sessão de hoje (11) houve o referendo à liminar anteriormente concedida na ação ajuizada pela Procuradoria Geral da República (PGR) e a concessão de liminar idêntica no processo envolvendo o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A ministra suspendeu, em decisão monocrática, a posse, retroativa às eleições de 2008, de vereadores suplentes. Ao votar pela manutenção da liminar, a ministra argumentou que o pleito foi encerrado em 2008 e que a posse de suplentes, agora, afrontaria a soberania popular, prevista na Constituição Federal. (Fonte: STF)

Extraído de: OAB

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Quanto custa o Verdadeiro Amor ???

Numa tarde, um menino aproximou-se de sua mãe, que preparava o jantar, e entregou-lhe uma folha de papel com algo escrito. Depois que ela secou as mãos e tirou o avental, leu:


- Cortar a grama do jardim: R$ 3,00

- Por limpar meu quarto esta semana R$ 1,00

- Por ir ao supermercado em seu lugar R$ 2,00

- Por cuidar de meu irmãozinho enquanto você ia às compras R$ 2,00

- Por tirar o lixo toda semana R$ 1,00

- Por ter um boletim com boas notas R$ 5,00

- Por limpar e varrer o quintal R$ 2,00

- TOTAL DA DIVIDA R$ 16,00

A mãe olhou o menino, que aguardava cheio de expectativa.

Finalmente, ela pegou um lápis e no verso da mesma nota escreveu:

- Por levar-te nove meses em meu ventre e dar-te a vida - NADA

- Por tantas noites sem dormir, curar-te e orar por ti - NADA

- Pelos problemas e pelos prantos que me causastes - NADA

- Pelo medo e pelas preocupações que me esperam -NADA

- Por comidas, roupas e brinquedos - NADA

- Por limpar-te o nariz - NADA

- CUSTO TOTAL DE MEU AMOR - NADA

Quando o menino terminou de ler o que sua mãe havia escrito tinha os olhos cheios de lágrimas.

Olhou nos olhos da mãe e disse: "Eu te amo, mamãe!!!"

Logo após, pegou um lápis e escreveu com uma letra enorme:

"TOTALMENTE PAGO".

Assim somos nós adultos, como crianças, querendo recompensa por boas ações que fazemos.

É difícil entender que a melhor recompensa é o AMOR que vem de Deus.

E para nossa sorte é GRATIS. Basta querermos recebê-lo em nossas vidas!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

"Numa madrugada dessas..."


Às vezes penso que vou pirar, bate uma saudade no peito, de não agüentar;

Saudade de um tempo que se foi e jamais vai voltar

Um vazio toma conta de mim, logo penso que vou sucumbir;

Uma aflição sem tamanho, algo bem estranho;

Sem saber de onde veio, nem quando vai parar;

Emudeço, choro por dentro, uma pressão interior parece querer me matar;

Sem previsão, sem ação, busco uma canção, canção de Louvor ao meu Deus;

Na certeza de que Ele tudo sabe, tudo vê, que mesmo sem falar o que quero, Ele irá me responder!

Por: Wellington Carneiro

Em busca de lágrimas absolutas

Minhas antigas amizades se dissolvem como bolhas de sabão. Esqueci nomes. Mal consigo lembrar os olhos de quem já passou por minha vida. O passado diluiu momentos que poderiam torná-los familiares. Fiz-me irmão, e doei-me inteiramente a companheiros, mas hoje hesito. Desconfiado, reparto pedaços do coração. Não suporto imaginar a dor de outras separações, de mais decepções.

Tenho medo de abrir os porões da alma. A desarrumação de minha casa faz sentido para mim. O que os outros consideram bagunça, tem uma sincronicidade própria, que me deixa em paz. Vacilo em rasgar os envelopes selados, onde escondo segredos. Sei detectar os traumas que me deixaram chorão, os complexos que me deram olhos melosos, as circunstâncias que me fizeram viver à beira do pranto, as fragilidades que me transformaram em tímido. Mas não pretendo explicar nada a ninguém.

Tornei-me cauteloso quando brinco e rio. Fujo dos que procuram analisar a minha felicidade; ela não carece de julgamentos. O riso que meus lábios desenham não tem que ser explicado. Introjeto a alegria para que não seja pisoteada como a pérola da parábola. Prezo em não deixar vazar frágeis contentamentos; a pouca riqueza que amealhei merece ser guardada debaixo de mil segredos.

Olho para colegas e antecipo navalhadas. Resguardo as costas dos estiletes da inveja. Assusto-me. As maldades que já sofri são parecidas com as que eu próprio já acalentei no peito. Se não sei explicar o porquê de atitudes mesquinhas em mim, também não justifico a estreiteza que observo no próximo. Não sou pior nem melhor que os demais. Por isso, cerco o quintal de casa contra lobos ferozes. Sempre espero alguém ávido para destruir o pedacinho da dignidade que me resta.

Meus desalentos não serão rasos. Desço às regiões abissais da angústia. Envolvo-me na absoluta escuridão da casmurrice; que o lençol do desgosto me isole. Quero ficar na quarentena dos tristes. E provar a verdade de que “são bem-aventurados os que choram, porque serão consolados”.

Soli Deo Gloria

Pra não passar em branco, Eu: Não são poucas as vezes que me impressiono com o grau de identidade dos meus sentimentos com os textos do Pr. Ricardo Gondim. Sabe aquilo que você sente, quer externar, mas, lhe faltam palavras? Pois é, começo vasculhar e me dou de cara com um escrito que não poderia fazê-lo melhor. Assim, faço deste, minhas palavras!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Manchetes dos jornais: Fraude envolve irmão do presidente do TCU

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal mapearam os caminhos do desvio de verbas da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), informa o repórter Rodrigo Rangel. Os relatórios da investigação indicam que esse órgão do Ministério da Saúde, cuja atribuição é financiar projetos de saneamento e saúde indígena pelo País, se transformou num balcão de negócios. Entre os investigados estão o deputado estadual Guaracy Aguiar, eleito pelo PMDB, e Danilo Forte, presidente da Funasa indicado pelo partido. Irmão de Ubiratan Aguiar, presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), o deputado coordenou a Funasa no Ceará entre 2007 e 2009 e é suspeito de liberar verbas e atestar como prontas obras inacabadas, apesar de evidências de superfaturamento, fraudes em licitações e desvio de dinheiro.

Já Forte é citado como facilitador na liberação de verbas para obras sob suspeita. Os dois negam participação nas irregularidades. Aguiar alega que não era o responsável pela aprovação dos convênios firmados pela Funasa no Ceará. Forte, por sua vez, diz que "jamais trata ou tratou diretamente da liberação de verbas com engenheiros de campo".

Extraído de: Congresso em Foco (O ESTADO DE S. PAULO)



Notícia Jurídica - Isto É: PEC do Calote

A nota sobre a PEC do Calote foi publicada na edição desta semana da revista Isto É:

"A aprovação da PEC dos precatórios em primeiro turno deixou indignado o presidente nacional da OAB, Cezar Britto. Para ele, com as novas regras, o Poder Legislativo "passa um trator por cima do Judiciário". Britto disse à ISTOÉ que "a PEC do Calote atropela as decisões judiciais que mandam pagar os precatórios, em total desrespeito aos direitos dos cidadãos". Lembrando que a PEC é obra do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), a partir de sugestão do então presidente do STF, Nelson Jobim, Britto lamenta que "um ex-presidente da mais alta Corte do País seja responsável pela criação desse monstrengo".

Extraído de: OAB.

Agora eu: Até quando suportaremos maus politicos como o Renan? - não quero aqui entrar no mérito da questão, mas penso esta ser uma boa hora para tal reflexão, uma vez que nas eleições do proximo ano teremos mais uma oportunidade de mudar este cenário vergonhoso. Sabemos não ser privilégio de Alagoas "o mau caratismo politico", não custa nada pensar uma dezena de vezes antes de votar, porque pode nos custar milhões de reais se votarmos errado.

"Milho bom !"

Esta é a história de um fazendeiro que venceu o prêmio "milho-crescido".

Todo ano ele entrava com seu milho na feira e ganhava o maior prêmio.

Uma vez um repórter de jornal o entrevistou e aprendeu algo interessante sobre como ele cultivou o milho.

O repórter descobriu que o fazendeiro compartilhava a semente do milho dele com seus vizinhos.

"Como pode você se dispor a compartilhar sua melhor semente de milho com seus vizinhos quando eles estão competindo com o seu em cada ano ?" - perguntou o repórter.

Por que ?" - disse o fazendeiro, - "Você não sabe ?

O vento apanha pólen do milho maduro e o leva através do vento de campo para campo.

Se meu vizinhos cultivam milho inferior, a polinização degradará continuamente a qualidade de meu milho.

Se eu for cultivar milho bom, eu tenho que ajudar meus vizinhos a cultivar "milho bom".

Ele era atento às conectividades da vida.

O milho dele não pode melhorar a menos que o milho do vizinho também melhore.

Aqueles que escolhem estar em paz devem fazer com que seus vizinhos estejam em paz.

Aqueles que querem viver bem têm que ajudar os outros para que vivam bem.

E aqueles que querem ser felizes têm que ajudar os outros a achar a felicidade, pois o bem-estar de cada um está ligado ao bem-estar de todos.

A lição para cada um de nós se formos cultivar milho bom, nós temos que ajudar nossos vizinhos a cultivar milho bom.

domingo, 8 de novembro de 2009

"O Barbeiro..."

Um homem foi ao barbeiro.

E enquanto tinha seus cabelos cortados conversava com ele.

Falava da vida e de Deus.

Dai a pouco, o barbeiro incrédulo não agüentou e falou:

- Deixa disso, meu caro, Deus não existe! - Por quê?

- Ora, se Deus existisse não haveria tantos miseráveis, passando fome!

Olhe em volta e veja quanta tristeza.

É só andar pelas ruas e enxergar!

- Bem, esta é a sua maneira de pensar, não é?

- Sim, claro!

O freguês pagou o corte e foi saindo, quando avistou um maltrapilho imundo, com longos e feios cabelos, barba desgrenhada, suja, abaixo do pescoço.

Não agüentou, deu meia volta e interpelou o barbeiro:

- Sabe de uma coisa?

Não acredito em barbeiros!

- Como?

- Sim, se existissem barbeiros, não haveria pessoas de cabelos e barbas compridas!

- Ora, eles estão assim porque querem.

Se desejassem mudar, viriam até mim!

- Agora, você entendeu!!!

sábado, 7 de novembro de 2009

Governadores assinam apoio ao projeto de partilha dos royalties do pré-sal


Os governadores Cid Gomes (Ceará), Welington Dias (Piauí), Eduardo Campos (Pernambuco), Teotônio Vilela (Alagoas), José Maranhão (Paraíba), a governadora Wilda de Faria (Rio Grande do Norte) e os vice governadores, Belivaldo Chagas (Sergipe) e Edmundo Pereira (Bahia) assinaram, nesta sexta-feira (6), uma moção de apoio ao projeto que estabelece um modelo de partilha dos royalties do pré-sal. A assinatura aconteceu durante a realização no XI Fórum de Governadores do Nordeste, realizado no Ceará. O documento será entregue pelos governadores ao deputado relator do projeto no Congresso Nacional, deputado Henrique Alves, na próxima segunda-feira, dia 9. Os governadores também sugeriram que o relatório aborde a questão dos blocos de pré-sal já concedidos, mas que ainda não foram explorados. “Nós buscamos uma solução que garanta uma distribuição justa e equitativa dos royalties que o petróleo brasileiro vai gerar”, defendeu o governador Cid Gomes. De acordo com o governador Eduardo Campos, atualmente há uma receita de US$ 11 bilhões de royalties do pré-sal e mais US$ 11 bilhões de participações especiais. Com a exploração na nova camada, há uma estimativa de que a receita chegue a US$ 65 bilhões co alíquota passando de 10% para 15%.
Na pauta do encontro, também foi discutido um projeto de desenvolvimento para o Nordeste. A região terá US$ 21 bilhões para investir nas áreas de logística, transporte, energia, estradas e saneamento. O aporte desses recursos será de instituições financeiras, como é o caso do Banco Mundial, que já manifestou interesse em investir US$ 3 bilhões na região, Banco Interamericano de Desenvolvimento, com aporte de mais US$ 3 bilhões, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico, com investimentos de US$ 6 bilhões, Governo Federal com US$ 6 bilhões e outros US$ 3 bilhões de contrapartida para os estados.
“Estamos focando o desenvolvimento do Nordeste para tornar a região mais atrativa. Os critérios de divisão desses recursos que nós vamos aportar serão discutidos posteriormente”, esclareceu Cid Gomes. O governador também explicou que o Fórum irá propor ao ministério da Fazenda e de Relações Institucionais a formação de um consórcio para a execução desses investimentos. Caso não seja possível, os investimentos serão feitos por excepcionalidades dos estados, já que mesmo se houver algum impedimento burocrático, os estados tem acesso a Profisco a linha de crédito do BNDES, PEF, de compensação das perdas com o Fundo de Repasse aos Estados. Esses investimentos serão executados no horizonte de tempo de 4 a 5 anos, segundo acrescentou Cid.
O governador Teotônio Vilela definiu o encontro como “o mais importante fórum do colegiado de governadores”, por tratar de um projeto integrado que , segundo ele, vai potencializar o desenvolvimento dos estados. “Esses investimentos vão acudir uma região pobre e carente que ao longo dos anos foi injustiçada”, disse Vilela. Para a governadora Wilma de Faria, o projeto vai encontrar de forma solidária a solução de problemas seculares. “É necessário investir em infraestrutura. Não é razoável que uma região que está crescendo acima da média nacional continue sem grandes avanços”, disse.
Já o governador da Paraíba, José Maranhão, reconheceu a iniciativa do governador Cid Gomes e destacou a contribuição do ex-ministro Mangabeira Unger em criar um projeto de desenvolvimento para a região Nordeste. “A reflexão do ministro é, sem dúvida, uma referência, mas aqui nós buscamos na prática a captação de recursos, com representantes das instituições financeiras”, afirmou. Eduardo Campos, pontuou algumas das ações do Governo Federal que hoje já integram a realidade do Nordeste. “Uma série de medidas já estão em andamento como é o caso da Transnordestina, da Transposição do São Francisco, da implantação de refinarias, entre outras”, citou. E acrescentou: “Quando o nordeste esteve disperso não foi um tempo bom. Ao tempo em que brigávamos com a chamada guerra fiscal, vimos a União Européia unindo países com uma moeda. O que se percebe hoje aqui é um Nordeste unido”, disse.
Outro ponto da reunião dos governadores, foi sobre a aprovação da emenda 29 que regulamenta o repasse de recursos para a saúde. O debate foi mediado pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão, que na oportunidade pediu apoio aos governadores no sentido de sensibilizar a Câmara Federal para a aprovação da Contribuição Sobre Saúde (CSS). “Nossa proposta foi de que busquemos, junto ao presidente Lula, uma correção da tabela de Sistema Único de Saúde (SUS), para que sejam diminuídas as disparidades entre as regiões do Estado”, destacou o vice governador de Sergipe, Belivaldo Chagas.

Fonte: Comunicação Casa Civil do Governo do Ceará

"Pensando na Vida... x Meu compromisso com a vida..."

Hoje me deparei pensando na vida, às vezes entro numa hipnose de uma loucura particular, onde meus pensamentos me levam por caminhos áridos, e por mais que eu busque, não consigo encontrar respostas nem soluções para minhas incógnitas e questões interiores. Não são poucas as circunstancias em que me pergunto: “o que é a vida, senão um conjunto de fatos sem sentido?”. Queria poder expressar em palavras o amor que tenho por pessoas que realmente amo, queria dá mais valor as coisas simples e que muitas vezes meus olhos não valorizam, e ai por diante, em meu dilema de não conseguir externar estes e outros sentimentos, tomo a liberdade de citar aqui um texto do Pr. Ricardo Gondim o qual transmiti em suas linhas um pouco deste meu silencio:

"Olho para o passado com lascas de nostalgia e pontas de melancolia. Caminhos que nunca trilhei hoje parecem bem mais fáceis. Amores que exigiram coragem voltam a me seduzir para me deixar ainda mais triste. Aventuras que nasceram de narcisismos e falsas onipotências reclamam explicações; como justificar tanto delírio? Não, não pretendo remontar passado. Desisto de qualquer tentativa de ressuscitar o que jaz sob o lajeado da decepção.


Para refazer meu compromisso com a vida, abandono o rigor de um humanismo idolátrico. Não idealizo as iniciativas ideológicas. Sei que toda instituição convive com o germe de sua própria inutilidade. Também não me prostro no altar do niilismo; descreio da capacidade humana de erguer-se pelos próprios cadarços. Meu existencialismo é frágil, carregado de suspeita. Minha religião, cheia de decepção. Minha ideologia agoniza debaixo dos escombros da modernidade.

Para refazer meu compromisso com a vida, largo na beira da calçada as metas-narrativas. Desconfio dos projetos globais. Incoerência entre discurso e prática me desesperam. A incapacidade de vertebrar o que acredito de coração me enoja. Criei cismas. Rio por dentro; é meu jeito de sobreviver aos ufanismos que tanto me irritavam no passado. Sei que preciso aniquilar os fantasmas que me deixaram com a sensação de ser um deus.

Para refazer meu compromisso com a vida, desisto de tentar levar a ferro e a fogo qualquer coisa. Erros me fizeram bem. Boas ações me arruinaram. Amigos me entristeceram. Desconhecidos me acolheram. Quando planejei, empaquei. Por outro lado, inesperadamente a vida deu certo sem planejamento. Sofri também com pecados. Paguei um alto preço por ser indolente. Mas, incrível, quando deixei para o dia seguinte o que deveria fazer hoje, foi bom.

Para refazer meu compromisso com a vida, quero ser leve como a pluma que escapou da asa do cisne, denso como o ruço que cobre a madrugada, escuro como a noite tropical sem lua, e transparente como o mar do Mediterrâneo. Hei de aprender a não discursar. Almejo ser mais enfático mas só em ternura; mais brando em afirmações. Pretendo rearrumar minha oratória. Quero voltar a olhar para o nada, como as crianças; a entrecortar frases com longas pausas, como os monges; a ritualizar os instantes, como os namorados.

Para refazer meu compromisso com a vida, espero envelhecer sem casmurrice. Acolher as doidices dos jovens, lembrando de como as minhas faziam sentido. Celebrar cada manhã como uma ressurreição. Aguardar o pôr-do-sol como uma grávida anseia pelo primeiro choro do filho. Plácido como um lago entre duas montanhas, espero encarar a morte. E que não reste nenhuma nesga de frustração em minha alma. E que eu descanse no sábado final com um sorriso maroto, sorriso de quem foi embora dizendo: valeu viver."

"Como consertar o mundo ?"

Um cientista muito preocupado com os problemas do mundo, passava dias em seu laboratório, tentando encontrar meios de minorá-los. Certo dia, seu filho de 7 anos invadiu o seu santuário decidido a ajudá-lo. O cientista, nervoso pela interrupção, tentou fazer o filho brincar em outro lugar. Vendo que seria impossível removê-lo, procurou algo que pudesse distrair a criança. De repente, deparou-se com o mapa do mundo. Estava ali o que procurava. Recortou o mapa em vários pedaços e, junto com um rolo de fita adesiva, entregou ao filho dizendo: - Você gosta de quebra-cabeça? Então vou lhe dar o mundo para consertar. Aqui está ele, todo quebrado. Veja se consegue consertá-lo bem direitinho!Mas faça tudo sozinho! Pelos seus cálculos, a criança levaria dias para recompor o mapa. Passadas algumas horas, ouviu o filho chamando-o calmamente. A princípio, o pai não deu crédito às palavras do filho. Seria impossível na sua idade conseguir recompor um mapa quem jamais havia visto. Relutante o cientista levantou os olhos de suas anotações, certo de que veria um trabalho digno de uma criança. Para sua surpresa, o mapa estava completo. Todos os pedaços haviam sido colocados nos devidos lugares. Como seria possível? Como o menino havia sido capaz?- Você não sabia como era o mundo, meu filho, como conseguiu?- Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando você tirou o papel da revista para recortar, eu vi que do outro lado havia a figura de um homem. Quando você me deu o mundo para consertar, eu tentei, mas não consegui. Foi aí que me lembrei do homem, virei os recortes e comecei a consertar o homem que eu sabia como era.

Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que havia consertado o mundo.!!!

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

"Voce é rico ou pobre ?"

Certo dia um pai de família rica, levou seu filho para viajar para o interior com um firme propósito de mostrar o quanto as pessoas podem ser pobres. Eles passaram um dia e uma noite na fazenda de um família muito pobre. Quando retornaram da viagem o pai perguntou ao filho:

- Como foi a viagem?

- Muito boa papai!

- Você viu como as pessoas podem ser pobres? o pai perguntou.

- Sim.

- E o que você aprendeu? o pai perguntou.

O filho respondeu:

- Eu vi que nós temos um cachorro em casa, e eles tem quatro, temos uma piscina que alcança o meio do jardim , eles tem um riacho que não tem fim.

- Nós temos uma varanda coberta e iluminada, eles tem as estrelas e a lua.

- Nosso quintal vai até o portão de entrada, eles tem uma floresta inteira.

- Quando o pequeno garoto estava acabando de responder, seu pai ficou estupefato.

O filho acrescentou:

- Obrigado, pai, por me mostrar o quanto "pobres "nós somos.

Tudo o que o ser humano tem, depende da maneira como se olha as coisas. Se você tem amor, amigos, família, saúde, bom humor e atitudes positivas para com a vida, você tem tudo! Se você é "pobre de espírito", você não tem nada.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Marina evita comentar críticas de Caetano a Lula

A pré-candidata à Presidência senadora Marina Silva (PV-AC) evitou comentar as declarações do cantor Caetano Veloso contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, publicadas nesta quinta-feira no jornal O Estado de S. Paulo. Na entrevista, Caetano chamou Lula de "analfabeto" e afirmou que Dilma não tem "experiência" para ser presidente. Procurada pelo jornal, Marina apenas agradeceu o apoio de Caetano à sua candidatura. "Isso mais do que agrega, congrega.

Quero registrar meu agradecimento pela avaliação positiva que Caetano faz do que ele considera minhas qualidades" afirmou. "Quanto às opiniões dele que envolvem outras pessoas, não gostaria de discutí-las", ressaltou.

Na entrevista, Caetano anunciou o voto em Marina Silva em 2010 com o seguinte argumento: "Marina é Lula e Obama ao mesmo tempo. Ela é meio preta, é uma cabocla, é inteligente como o Obama, não é analfabeta como o Lula, que não sabe falar". O cantor ainda defendeu o "desbravamento" e a "vanguarda tecnológica" da Amazônia. A reportagem questionou Marina sobre essa posição de Caetano, mas ela preferiu não comentar o assunto.

O PT reagiu às declarações de Caetano Veloso. Incomodou aos petistas não só os ataques desferidos a Lula por um ex-eleitor do presidente, mas o apoio do músico à candidatura de Marina, uma recém-dissidente do partido e adversária da ministra Dilma Rousseff na corrida eleitoral de 2010. Antigo aliado de Marina no Acre, o senador Tião Viana (PT-AC) chamou o cantor de "preconceituoso" por declarar que votará na senadora porque ela "não é analfabeta como o Lula". "Não é a primeira vez que o Caetano é ofensivo, preconceituoso. Ele passa uma visão elitizada de valores, sobretudo, os culturais", afirmou Viana. "O presidente Lula é um dos homens mais inteligentes do País", ressaltou.

O líder do PT na Câmara, Cândido Vaccarezza (SP), desprezou a influência de Caetano como formador de opinião política no País. "A posição dele não interfere na política. Ele é um compositor, marcou a minha geração, mas é apenas uma opinião política. É a opinião de um brasileiro. A maioria dos brasileiros admira o presidente Lula", afirmou o petista. Ex-ministro da Educação de Lula e hoje um sutil opositor, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) condenou os termos usados pelo músico. "Ele foi grosseiro com o presidente. Não é esse o critério que me leva, por exemplo, a simpatizar com a Marina. O Caetano foi muito infeliz. O erro do Lula não foi ter pouca instrução formal, mas não ter feito as mudanças necessárias ao País", frisou.

A oposição adotou um discurso de apoio, com ressalvas a Caetano. Elogiou o discurso eleitoral dele, mas evita alimentar a polêmica em torno da expressão "analfabeto". O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), sinalizou que Caetano optou pelo apoio a Marina no primeiro turno, mas conta com ele ao lado dos tucanos no segundo. "Achei a entrevista deliciosa. Eu louvo o bom gosto dele. Ele entendeu o espírito da votação em dois turnos. No primeiro turno vai com o coração. Depois, com o que acha melhor entre dois candidatos", afirmou. "Só não concordo quando ele diz que Lula é analfabeto. Faz muito tempo que o presidente não é. Ele tem vivência, conheceu vários países, entende de jargões de economia", disse o senador.
 
Extraído de: Uai Noticias

STJ aumenta indenização por morte decorrente de demora em atendimento

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) fixou em R$ 150 mil o valor da indenização a ser paga pela Unimed Seguros Saúde S/A ao filho de uma segurada, falecida em decorrência de demora injustificada na autorização de sua cirurgia cardíaca. Os ministros da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiram aumentar o valor fixado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro - R$ 20 mil -, considerando que este não combina com os valores aceitos pela Corte Superior. A decisão foi unânime.

A ação foi ajuizada contra a Unimed e seu diretor técnico buscando condená-los à reparação pelos danos morais experimentados em virtude da morte da segurada, tendo em vista a demora no fornecimento de senha e autorização para que essa fosse submetida à cirurgia cardíaca que poderia ter lhe salvado a vida.

Na primeira instância, o pedido contra a Unimed foi julgado procedente para condená-la ao pagamento de R$ 10 mil por danos morais. O pedido contra o diretor técnico, entretanto, foi julgado improcedente. Na apelação, o Tribunal estadual, considerando as circunstâncias do caso, decidiu majorar o valor da indenização para R$ 20 mil.

Inconformado, o filho da segurada recorreu ao STJ buscando o aumento da verba indenizatória para valor não inferior a 500 salários-mínimos, pelas falhas nos serviços prestados pela Unimed e que deram causa ao falecimento.

Destacou, ainda, que a morte de sua mãe proporcionou à Unimed uma economia de, aproximadamente, R$ 100 mil, pois este foi o valor que ela deixou de despender com o procedimento cirúrgico, as próteses e as órteses necessárias à sua sobrevivência.

Para o relator do recurso, ministro Sidnei Beneti, o valor fixado pelo TJRJ para o filho, pela morte de sua mãe, diverge do valor que o plano de saúde deixou de despender, ou seja, aproximadamente R$ 100 mil, destoando-se, ainda, dos valores aceitos pelo STJ para casos assemelhados, isto é, de dano moral decorrente de morte de familiar por falha na prestação do serviço, consolidada na demora injustificada para o fornecimento de autorização para cirurgia.

Acolha a Bíblia: "Quem acolhe a bíblia no coração, recebe o Espírito de Deus. A Bíblia funciona."

Um medico cristão estava lendo sua Bíblia assentado num banco da praça, quando um senhor se aproximou e reconhecendo o médico disse:

- Não posso crer que o senhor, com sua cultura, consiga ler e acreditar num livro como esse!

- Por quê? Perguntou o médico.

- Por que nem sabemos quem escreveu este livro. Eu não acredito numa coisa que nem sequer saiba quem escreveu. O medico olhou fixamente para o homem e perguntou-lhe:

- O senhor acredita e usa a tabuada?

- Sim. uso-a freqüentemente.

- O senhor sabe quem escreveu a tabuada?

- Não, não sei, respondeu o incrédulo.

- Como é então que o senhor acredita e usa algo que o senhor nem sequer sabe quem escreveu? Perguntou-lhe o médico. O homem embaraçado teve uma idéia brilhante e respondeu:

- É que a tabuada funciona, e tudo mundo sabe disto.

- Meu amigo, disse o médico, a Bíblia também funciona muito bem. E eu poderia mostrar centenas de pessoas que tiveram suas vidas modificadas pela Palavra de Deus. Seus ensinos são vida para quem os coloca no coração.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Sumula 407 pacifica cobrança de tarifa de água por faixa de consumo

É legítima a cobrança da tarifa de água, fixada de acordo com as categorias de usuários e as faixas de consumo. Esse é o teor da Súmula n. 407, relatada pela ministra Eliana Calmon e aprovada pela Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ).


A nova súmula teve como referência os artigos 175 da Constituição Federal; 543 C do Código de Processo Civil (CPC), 175 da Lei n. 8.987/95; a Resolução n. 8 do STJ e vários precedentes julgados desde 2004. O mais recente deles (Resp 1113403-RJ), de setembro de 2009, reiterou que a jurisprudência de ambas as Turmas que compõem a Primeira Seção do STJ consolidou-se no sentido de que é legítima a cobrança do serviço de fornecimento de água mediante tarifa progressiva escalonada de acordo com o consumo.

O caso em questão envolveu a Companhia Estadual de Águas e Esgoto (Cedae) e as Casas Sendas Comércio e Indústria S/A. O processo foi julgado pelo rito dos recursos repetitivos e enviado à Comissão de Jurisprudência como sugestão para a elaboração da súmula.

Extraído de: Superior Tribunal de Justiça

Sarney diz que não pode ser culpado por brecha que libera salários acima do teto


O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), disse nesta quarta-feira que não pode ser responsabilizado pela "brecha" na reforma administrativa da Casa que permite o pagamento de salários acima do teto do funcionalismo público federal a um grupo de servidores da Casa. Sarney disse que a prática de pagamento de salários acima do teto, fixado em R$ 25,7 mil, não é encontrada apenas do Legislativo.

"Todos os órgãos da administração pública precisam de uma regulamentação sobre o tema. Não posso ser responsabilizado por uma prática que não ocorre somente no Senado, mas em todos os órgãos. Deve ser uma decisão conjunta de todos os Poderes", disse.

Sarney afirmou que a "brecha" será retirada do texto da reforma administrativa a ser implementada na Casa. O senador disse não ter conhecimento de como a mudança foi incluída na reforma.

Em nota oficial divulgada nesta quarta-feira, o presidente do Senado afirma que vai retirar do texto a "brecha" que permite os salários acima do teto. "A reforma administrativa do Senado Federal, nesta fase, é uma proposta que está sendo submetida aos senhores senadores. Os artigos que dispõem sobre aumento de despesas, vantagens indevidas e privilégios serão expurgados do texto, conforme determinação da Mesa Diretora", diz a nota.

Elaborada pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), a reforma administrativa teve alterações realizadas por técnicos do Senado a pedido da cúpula da instituição, mas foi liberada para consulta dos parlamentares --que poderão oferecer sugestões nos próximos 15 dias.

O primeiro-secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), havia anunciado nesta terça-feira a retirada da "brecha" que permite o pagamento de salários acima do teto --prática que já ocorre na instituição. Atualmente, cerca de 350 servidores da Casa recebem acima do teto constitucional.

O artigo da reforma prevê que os servidores que recebem funções comissionadas além da remuneração mensal poderiam somar valores superiores ao teto. Heráclito disse que o artigo foi incluído de última hora para beneficiar servidores.

O texto afirma que "a remuneração mensal do servidor do Senado Federal terá como limite máximo o subsídio mensal, em espécie, dos ministros do Supremo Tribunal Federal, ressalvadas as parcelas de caráter indenizatório e a devida pelo exercício de função comissionada".

Com a ressalva, a proposta abre a brecha para que os servidores efetivos do Senado (concursados) que recebem comissões além do salário somem vencimentos acima do teto.

Investigação

A procuradora da República Anna Carolina Resende de Azevedo Maia instaurou inquérito civil para investigar a brecha. "Há elementos que apontam para uma análise equivocada do texto constitucional", diz a procuradora.

Sarney apresentou a reforma administrativa do Senado na semana passada com as mudanças sugeridas por técnicos da Casa ao relatório inicialmente elaborado pela FGV (Fundação Getúlio Vargas). A proposta preserva os parlamentares de cortes no número de servidores comissionados vinculados aos gabinetes até o final de 2010.

Pelo texto, os senadores terão que reduzir o número de funcionários comissionados só a partir de 2011 --quando será eleita a nova Mesa Diretora do Senado. Na maior parte dos casos, os comissionados são indicações políticas.

Extraído de: Folha Online